quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Todas as Classificações em Vascular

Fontaine
1- Podromos
2- Claudicação intermitente A- mais de 100m B- menos de 100m
3- Dor isquêmica de repouso
4- Lesão trófica


Isquemia Crônica
Grau 0 Categoria 0 - assintomático
Grau I Categoria 1 - claudicação leve
Categoria 2 - Claudicação moderada - entre1 e 3
Categoria 3 – claudicação severa
Grau II Categoria 4 – dor de repouso
Grau III Categoria 5 – gangrena menor
Grau III Categoria 6 – gangrena maior



Dissecção Aórtica
Debakey
Tipo I – aorta ascendente, entende além do tronco braquiocefálico.
Tipo II – restrita a aorta ascendente
Tipo III A– aorta descendente, até diafragma
Tipo III B – aorta descendente, atinge aorta abdominal

Stanford
Tipo A - I e II Tipo B - III



Oclusão Aorto-iliaca
I – restrita aorta terminal
II – aorta terminal e ilíacas
III – aorta, ilíacas, lesões infra-inguinais (lesões multisegmentares)


Aneurisma Toracoabdominal
Crawford
I- Aorta descendente até ramos viscerais
II- Aorta descendente até ilíacas
III- 1/3 médio da aorta descendente até renais
IV- Diafragma até ilíacas
V- 1/3 distal da aorta descendente até renais (Safi)



Aneurisma Abdominal
Alemberg
I –colo proximal e distal
II A – colo proximal, distal sem colo, restrita a aorta
II B – colo proximal , atinge 1/3 médio das ilíacas
II C – colo proximal, atinge bifurcação ilíaca
III – sem colo proximal e sem colo distal

Infra-renal – abaixo das renais (bom colo proximal)
Justa-renal – imediatamente abaixo das renais
Para-renal – colo proximal engloba as renais



Takayasu
I – Arco aórtico e seus ramos – Shimizu-Sano
II – Aorta abdominal e torácica - Kimoto
III- I + II - Inada
IV – qualquer um + artéria pulmonar - Ishikawa ou Lupi Herrera



Aprisionamento de poplítea
I - desvio medial da artéria poplítea, gastrocnêmio em posição normal
II – desvio medial da artéria poplítea e desvio lateral do gastrocnêmico
III – artéria poplítea em posição normal, comprimida por feixe acessório do gastrocnêmico medial
IV – artéria poplítea é comprimida por bandas fibrosas profundas ou músculo poplíteo
V – qualquer um com envolvimento da veia
VI – hipertrofia do gastrocnêmico medial



Isquemia Aguda- grau de isquemia
I- Viável – dor em repouso, ausência de déficit neurológico ou fraqueza muscular, enchimento capilar normal, sinais de Doppler arterial e venoso audíveis.
II- Viabilidade ameaçada – isquemia reversível, possível evitar uma amputação maior.

IIa- Marginalmente ameaçado – dormência e pequena perda sensorial restrita aos artelhos, dor descontínua e freqüentemente ausência de sinal de Doppler arterial, contudo venoso audível.

IIb- Ameaça imediata- dor isquêmica em repouso, persistente; perda de sensibilidade além dos artelhos; algum grau de perda motora (parestesia ou paralisia) e ausência de sinal de Doppler arterial e venoso.


III- Inviável – perda de sensibilidade, paralisia muscular acima do pé, ausência de enchimento capilar, eventualmente contratura muscular ou pele marmórea. Ausência de Doppler arterial e venoso.




Tumor de Glomus Carotídeo
I – facilmente ressecável
II – ressecável somente pela túica subadvencial de Gordon –Taylor
III – irressecável



Infecção de prótese
Precoce até 4 meses, tardio mais de 4.
Bandyk
P0 – Enxerto intracavitário
P1 – Enxerto extracavitário
P2 – porção extracavitaria de um enxerto intracavitário
P3 – remendo



Vazamento
I – Fixação proximal ou distal
II – Ramos lombares ou mesentérica inferior
III – conexão ou fadiga do material
IV - porosidade



Dislipidemia
I – Aumento de quilomicrons exógeno
II A – Aumento de LDL
II B – Aumento de VLDL e IDL
III – Aumento de IDL (aqui colesterol e triglicerídeos tem mesmo valor)
IV – Aumento de VLDL endógeno
V – Aumento de quilomicrons endógeno



CEAP
C0 – ausência de sinais e sintomas de doença venosa
C1 – telangiectasias e veias reticulares
C2 – veias varicosas
C3 – edema
C4 – alterações cutâneas
C5 – úlceras cicatrizadas,
C6 – úlceras abertas

Ec – congênita
Ep – primária, sem causa
ES – secundária, causa conhecida (pós-traumática, pós-trombótica, etc)

A1 telangiectasias
A2 safena acima do joelho
A3 safena abaixo do joelho
A4 safena parva
A5 sem safena
A6 veia cava inferior
A7 veia ilíaca comum
A8 veia ilíaca interna
A9 veia ilíaca externa
A10 pélvicas, gonadais, ligamento largo
A11 femoral comum
A12 femoral profunda
A13 femoral superficial
A14 poplítea
A15 veias axiais da perna
A16 veias musculares
A17 perfurantes de coxa
A18 perfurantes de perna

Pr – refluxo
Po – obstrução
Pro – refluxo e obstrução

9 comentários:

  1. Boa tarde fiz cirugia faz três dias porém não consegui usar a meia ainda ,os pequenos cortes ainda estão doendo muito e alguns tem secreções posso colocar a meia assim mesmo?

    ResponderExcluir
  2. Dra operei tem 6 meses tirei duas safena, Ainda estou fazendo aplicação. Estes dias de natal andei muito e fiz uma viajem de 4 horas eu dirigindo, senti muita dor e meu tornozelo inchou. Outra coisa atras do meu joelho está escuro como queimaduras será que vai sair ???

    ResponderExcluir
  3. Olá doutora meu nome e nilzete tenho 24 anos e corro atrás pra fazer minha cirguia de varize minhas pernas dói muito será que tem como a senhora mim ajudar eu ñ tenho plano só posso fazer partícula meu tel 986550096 já tenho todos os exames pronto

    ResponderExcluir
  4. Bom dia doutora meu nome é nilzete tenho Omã varize na perna esquerda que dói muito mim encômoda bastante eu sempre corri atrás pra fazer a minha cirugia pelo sus mais nunca conseguir sou de Salvador será que tem como a senhora mim ajudar eu posso fazer partícula tanbem mim da essa força aí pra mim realizar meu sonho 986550096

    ResponderExcluir
  5. Bom dia operei das varizes tem 3 meses retirei a safena .
    Tem alguns roxos será que posso ir a praia?

    ResponderExcluir
  6. Boa Noite Dra. Fiz um cirúrgica de varizes ñ retirei a safena a minha médica só fiz uma ponte mais estou com o tornozelo dormente ir queimado muito é normal neste já quero lhe agradecer pela resposta

    ResponderExcluir
  7. Oi dra fiz uma cirurgia de varizes A3 diasno tornozelo está saindo uma água estou muito preocupada e grave?

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, meu pai fez 3 pontes de safena, semana passada, e sente uma dor que queima ao encostar no peito, próximo a cicatriz, é normal? Abriram toda a perna dele, e achamos que estava infeccionando os pontos, levamos há um hospital e o clínico geral disse q estava ótimo, mas, apertou muito forte no corte, liberou sem dar nenhum analgésico, e agora ele esta com muita dor nas regiões onde apertou, isso é normal? Por favor, me ajude!

    ResponderExcluir