sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Hipertensão Renovascular

-É a principal forma de hipertensão secundária. Maior suspeita nos pacientes com pressão diastólica (PAD) >120mmHg.

-Causas mais comuns: aterosclerose e displasia fibromuscular.

-Na aterosclerose as lesões se localizam no terço proximal da artéria.

-A displasia fibromuscular acomete principalmente as artérias renais. A mais comum é a displasia fibromuscular da média, afetando o terço médio e distal das renais. Aspecto angiográfico em colar de pérolas. Principalmente em mulheres de 25 a 50anos, é bilateral em 60% dos casos. São os que mais se beneficiam do tratamento.

*Diagnóstico:
-Principais exames: Duplex scan e o renograma radioisotópico sensibilizado com captopril.
-Artériografia é a mais recomendada no diagnóstico e para programação cirúrgica.
-No renograma pós-captopril, a queda da filtração glomerular é a base das alterações verificadas em relação ao pré-teste.
-Exame de triagem ecocolordoppler, sequencialmente Ressonância Magnética e no ato operatório arteriografia.

*Indicação cirúrgica:
-Hipertensão de difícil controle farmacológico e insuficiência renal renovascular.
-Estenose > 60%, indicativo: diferença de pressão pré e pós estenótica de 20mmHg e relação pico de velocidade sistólica (PSV) na estenose/ pico de velocidade sistólica aórtica = 3,5.

Nenhum comentário:

Postar um comentário